sábado, 7 de maio de 2016

A Presciência de Deus na Eleição

A Presciência de Deus na Eleição


Nem Todos Serão Salvos

O irmão Branham disse que a salvação e a cura divina não eram para todos, mas somente para aqueles que foram ordenados por Deus para crer e serem salvos. Sendo assim, somente podem ser salvos aqueles que o Senhor chamou.

Desesperos (01/09/1963) § 11
Temos de pregar salvação de uma maneira que seja para todos, o que nós sabemos que não é. Temos que pregar cura divina para todos, mesmo sabendo que não seja. Está vendo? Jesus veio para salvar aqueles que estavam no Livro da Redenção antes da fundação do mundo. Ele somente veio para salvar aqueles. Quem são eles, eu não sei. ...Ninguém pode vir a menos que Deus o tenha chamado. Isto é verdade. Então há muitas pessoas que não serão salvas. Nós sabemos disto. Elas, bem, Deus sabia disto antes que o mundo começasse, que elas não seriam salvas.

Predestinação Versus Livre-Arbítrio

Vejamos as colocações contundentes que o irmão Brian Kocourek fez sobre como erroneamente alguns estão interpretando o critério usado por Deus durante a Sua presciência, para eleger aqueles que haveriam de ser salvos.

Da série “Desesperos Nº. 4 - Presciência” (9/03/2016) - Brian Kocourek
A principal ênfase na presciência de Deus como ensinado na maioria dos púlpitos NADA TEM A VER HOJE com a verdadeira essência de Deus pelo planejamento pré-consciente, mas foi DISTORCIDA POR COMPLETO ao ponto onde está sendo ensinado que a presciência de Deus tem a ver com a escolha do homem e da aceitação passiva de Deus dessa escolha e, portanto, Deus fazendo Sua escolha com base no pré-conhecimento da escolha que você fará. Agora, a fim de compreender a presciência de Deus ou a pré-ordenação de Deus, temos de olhar para as Escrituras, sem qualquer filtro denominacional sobre nossos olhos. Devemos estar dispostos em nosso coração a ler a Palavra de Deus da maneira que Ele A escreveu, ao invés da forma como fomos ensinados a interpretá-La. Quando a Palavra de Deus fala de Seu propósito eterno e de um plano, Ela mostra como Ele escolhe alguns para serem conformes à imagem de Seu Filho. No entanto, A MAIORIA DOS MINISTROS ESTÃO CEGADOS POR SUA FORMAÇÃO BÍBLICA, QUE NA REALIDADE É O TREINAMENTO ANTI-BÍBLICO, e assim, eles argumentarão que a eleição está baseada na presciência de Deus, e esta presciência é interpretada por eles como significando que Deus previu certas pessoas que seriam mais maleáveis do que as outras, e que elas iriam responder mais ansiosamente à chamada de Deus, e que, porque Deus sabia que eles iriam crer, Ele em conformidade, predestina para a salvação. Mas ESSE TIPO DE PENSAMENTO NÃO SOMENTE É FUNDAMENTALMENTE ERRADO, MAS DESASTROSO SOBRE O SEU RELACIONAMENTO COM UM DEUS SOBERANO. Esse tipo de pensamento leva para longe a soberania de Deus, substituindo-a pela soberania do homem, e sua capacidade de tomar uma decisão certa, sem a intervenção divina. (Ou seja, ninguém busca a Deus, portanto é impossível que alguém seja salvo, a menos que Deus intervenha na vontade do homem, cuja propensão natural é de fugir ou de não obedecer a Deus) CRER NO PODER ABSOLUTO DO LIVRE ARBÍTRIO É ACABAR COM A SOBERANIA DE DEUS e com a natureza soberana de Seu plano e propósito. Este ponto de vista da presciência de Deus É COMPLETAMENTE CONTRÁRIO ao que as Escrituras realmente ensinam. Dizer: “Deus previu que certas pessoas creriam em Cristo e, portanto, Ele os predestinou para a salvação”, é exatamente o OPOSTO DO QUE A ESCRITURA ENSINA(Isso significa que a maioria dos ministros da Mensagem não entende a predestinação) As Escrituras estabelecem que Deus, em Sua soberania, escolheu alguns para serem destinatários de Sua graça imerecida. Agora, Deus não força o homem a fazer qualquer coisa. Você o faz em seu próprio livre arbítrio. Ele irá avisá-lo, Ele pode até mesmo jogar uma barricada em seu caminho, mas você anda por seu próprio livre arbítrio e por tomar as suas próprias decisões em Sua Presença para saber se você vai obedecê-Lo ou não. Mas isso não faz com que você faça algo totalmente independente do que Deus preparou para você fazer. Satanás perverteu o plano de Deus para o seu próprio plano. Mas só porque Ele te deu o livre arbítrio isso não significa que Ele olha no futuro para o que você escolheu e estabelece todo o Seu plano de redenção com base na tua escolha.

Ou seja, o irmão Brian Kocourek crê exatamente como eu: ninguém é salvo por livre-arbítrio. O crente possui liberdade e prestará conta de seu uso, mas a salvação não tem absolutamente nada a ver com a escolha que alguém decidiu fazer. Ou já nasceu com os genes de Deus ou não nasceu.

A Ele Ouvi (15/12/1956) § 43 [sem tradução]
E isto são as obras de Deus pela graça, mediante a presciência que ordena você para a Vida Eterna e coloca o seu nome no Livro da Vida do Cordeiro no princípio. (Veja que aqui o irmão Branham está dizendo que foi pela presciência de Deus que os eleitos foram ordenados à salvação. Um pré-conhecimento. Mas um pré-conhecimento do que? Das nossas futuras ações e escolhas? Não exatamente, porém é assim que todo mundo pensa.) “E ninguém pode vir a menos que Meu Pai o traga. Tudo o que vem a Mim Eu lhe darei a vida eterna, e o ressuscitarei no último dia”. “Aqueles que Ele conheceu de antemão, Ele chamou; aqueles que Ele chamou, Ele justificou; aqueles que Ele justificou, Ele já tem (passado) glorificado”, na glória. Do que você tem medo? Deus te chama, seu coração O ama. “Assim como o cervo brama pelas correntes das águas, assim suspira a minha alma por Ti, ó Deus!” (Ou seja, o fundo clama ao fundo) Aí está. Bem, você diz: “Irmão Branham, isso de certa forma o torna meio solto depois. Contanto que eu creia que sou um cristão, posso fazer qualquer coisa que eu quiser”. (Esse é o contra-argumento arminianista para a predestinação. “Se eu já sou predestinado posso fazer o que eu quiser; posso até mesmo viver uma vida de pecado, porque serei salvo de qualquer jeito”) Eu sempre faço o que eu quero, sempre. E se eu quiser fazer o errado, sei que Deus não está aí. Vê? Você não pode tirar água amarga e doce da mesma fonte. Isso mesmo. Se você ama o Senhor, você fará o certo. Sim senhor. Se você O ama, você não tem com o que se preocupar, se você O ama, basta fazer o que você quer.

O predestinado nunca terá esse pensamento de desejar fazer o errado. Se ele o faz, é porque ele não ama a Deus. Se ele ama a Deus é porque o Espírito Santo está nele, pois é o Espírito Santo de Deus no eleito que lhe ensina sobre como amar a Deus, porque as Escrituras nos dizem que o Espírito Santo nos ensina acerca de todas as coisas, e sobre como amar a Deus é uma delas, pois muitos podem dizer que amam a Deus, mas o farão da sua própria maneira, ao invés da maneira de Deus.

A Rejeição à Palavra é Uma Evidência de Perdição

A evidência de perdição sempre se mostra clara quando há rejeição à Palavra de Deus.

Atos 13:45-48
E no sábado seguinte ajuntou-se quase toda a cidade para ouvir a Palavra de Deus. Então os judeus, vendo a multidão, encheram-se de inveja e, blasfemando, contradiziam o que Paulo falava. Mas Paulo e Barnabé, usando de ousadia, disseram: Era necessário que a vós se vos pregasse primeiro a Palavra de Deus; mas, visto que A rejeitais, e não vos julgais dignos da vida eterna, eis que nos voltamos para os gentios; porque o Senhor assim no-lo mandou: “Eu te pus para luz dos gentios, a fim de que sejas para salvação até os confins da terra”. E os gentios, ouvindo isto, alegraram-se, e glorificavam a Palavra do Senhor; e creram todos quantos estavam ordenados para a vida eterna.

Somente os Eleitos São Ordenados a Crer

Porém observe que a salvação não está em um ato de escolha do crente, mas de Deus. Você não é um eleito porque você crê, mas você crê porque Deus te ordenou para crer. A Palavra não diz que todos os que crêem são ordenados para a vida eterna, porque isso colocaria a ênfase no ato de crer, e não no ato da escolha de Deus pela eleição que vem primeiro, e então a crença como o resultado de você ser eleito. Nossa fé na Palavra de Deus é um resultado da eleição de Deus.

A Eleição Não Consistiu na Presciência de Deus Sobre Nossas Obras

Romanos 9:11-22
Porque, não tendo eles ainda nascido, nem tendo feito bem ou mal, para que o propósito de Deus, segundo a eleição, ficasse firme, não por causa das obras, mas por Aquele que chama. (Observe, é Ele que faz o chamado, e é Ele que faz a eleição. Essa eleição nada teve a ver com as obras que nós faríamos no futuro. Com certeza Deus sabia o que cada um iria fazer, mas Deus não levou em consideração essas obras que seriam feitas futuramente para então decidir quem escolher para salvar) Foi-lhe dito a ela: O maior servirá o menor. Como está escrito: Amei a Jacó, e odiei a Esaú. Que diremos pois? Que há injustiça da parte de Deus? De maneira nenhuma. Pois diz a Moisés: Compadecer-Me-ei (do hebraico “chanan”, “mostrarei graça, favor”) de quem Me compadecer, e terei misericórdia de quem Eu tiver misericórdia. Assim, pois, isto não depende do que quer, (não depende do livre-arbítrio, não depende de qualquer escolha ou decisão que alguém queira tomar) nem do que corre, (Do grego “trecho”, que se refere ao ato de esforçar-se, de se tentar duramente obter algo, gastar as energias em executar ou realizar algo, de usar todas as habilidades para se alcançar algo. Portanto Paulo está dizendo que a salvação não depende do esforço ou dedicação ou da obra de alguém) mas de Deus, que Se compadece. (A salvação é uma obra e um esforço de Deus. É Deus Quem irá Se esforçar para salvar o eleito) Porque diz a Escritura a Faraó: Para isto mesmo te levantei; para em ti mostrar o Meu poder, e para que o Meu nome seja anunciado em toda a terra. Logo, pois, compadece-se de quem quer, e endurece a quem quer. Dir-me-ás então: Por que se queixa Ele ainda? Porquanto, quem tem resistido à Sua vontade? Mas, ó homem, quem és tu, que a Deus replicas? Porventura a coisa formada dirá ao que a formou: Por que me fizeste assim? Ou não tem o oleiro poder sobre o barro, para da mesma massa fazer um vaso para honra e outro para desonra? E que direis se Deus, querendo mostrar a Sua ira, e dar a conhecer o Seu poder, suportou com muita paciência os vasos da ira, preparados para a perdição.

Portanto, as Escrituras ensinam que a graça é imerecida, e se assim for, então não há nada que você e nem ninguém mais possa fazer para merecer isso.

Efésios 2:8
Porque pela graça sois salvos, mediante a fé; e isto não vem de vós, é o dom de Deus: não vem de obras, para que ninguém se glorie.

Somente os Frutos do Eleito Permanecem

João 15:16
Não fostes vós Me escolhestes, (Não foi uma decisão ou escolha tua, do teu livre-arbítrio) mas Eu vos escolhi a vós, e vos nomeei, (do grego “tithemi”, “te estabeleci”, “te ordenei”. Ou seja, Deus te ordenou. Para quê?) para que vades e deis fruto, e o vosso fruto permaneça; (Só dão frutos aqueles que foram ordenados por Deus para dar. Os que não conseguem dar frutos é porque não foram ordenados para isso. Você já deve ter visto pessoas que disseram crer em Deus, na Sua Palavra e na Sua Mensagem, mas depois por algum motivo desistiram de manter aquela confissão. Você não pode dizer que essa pessoa não é uma eleita, mas sua desistência é uma possível evidência de perdição, porque aqui diz que aqueles que Deus escolhe e ordena produzem frutos de sua eleição e permanecem frutificando. Eles dizem que creem e continuam crendo. Só o eleito frutifica para Deus, só o eleito é que produz frutos de arrependimento, e os seus frutos permanecerão até o fim para dar testemunho da sua eleição) para que tudo quanto pedirdes ao Pai em Meu nome, Ele vo-lo conceda.

Isso deve resolver a questão bem aí, cuja escolha de alguém não significa nada para Deus. Deus determinou conceder a você o Seu dom da fé, e, portanto, a capacidade de tomar uma decisão certa, e você não teve nada a ver com sua escolha a não ser aceitar o seu dom para você.

Nossa Salvação Foi Uma Escolha de Deus

Jesus disse a Pedro: “Bendito és tu Simão, pois a carne e o sangue não revelaram isso para você, mas Meu Pai que está nos céus. E sobre esta pedra (revelação) edificarei a Minha igreja e as portas do inferno não prevalecerão”. A falsa teologia diz que a presciência de Deus sobre a nossa fé futura é a causa da nossa eleição, que está baseada na ação e escolha que tomamos. Mas na verdade a ação que foi tomada para a nossa salvação foi a escolha de Deus, e nossa resposta a essa escolha. Portanto a causa da nossa eleição está na escolha que Deus fez. Somos salvos porque Deus decidiu nos escolher. Então o falso ensino sobre a predestinação diz que Deus apenas previu o que nós decidiríamos, e aceitou o resultado disso nos predestinando.

Presciência e predestinação não são exatamente a mesma coisa. Presciência é conhecer de antemão alguém ou algo. Predestinar significa determinar algo antes que aconteça. Ou seja, dar um fim específico para algo. É como se Deus tivesse dito: “Antes que fulano nasça eu quero que ele seja tal coisa e faça tal coisa”. Pela Sua presciência Ele sabia obviamente que faríamos tudo aquilo que Ele determinou que fosse feito, mas no que tange à eleição da salvação, Sua presciência não está focada em saber ou conhecer quais seriam nossas atitudes e escolhas. Para entender melhor isso, vamos para as Escrituras procurando entender exatamente o que elas dizem:

Romanos 8:28-29
E sabemos que todas as coisas contribuem juntamente para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados segundo o Seu propósito...

Aqui Paulo está nos dizendo que nós somos cristãos porque fomos chamados. Não somos cristãos ou filhos de Deus porque decidimos ser, mas porque Deus nos chamou para ser. Se Deus não tivesse nos chamado, nós seríamos qualquer outra coisa, menos filhos de Deus. Nós estamos aqui para um propósito e esse propósito é de Deus e não nosso. Não fomos nós que propomos ser filhos de Deus, mas foi Deus Quem nos propôs isso. Foi Ele Quem expôs essa vontade para nós. Essa palavra “propósito” deriva de uma outra palavra grega chamada “protithemai” que quer dizer “proposto” ou “determinado”. Isso quer dizer que fomos chamados segundo uma determinação de Deus. Mas essa determinação não foi tomada depois de termos feito algo, mas na verdade foi antes de termos vindo à existência.

Porque os que dantes conheceu...

Ou seja, aqueles que foram conhecidos de antemão. Fala de presciência. Antes dos filhos de Deus nascerem Ele já os conhecia pessoalmente. Porém esse conhecimento prévio de Deus nada tem a ver com as coisas que faríamos e com as escolhas que viríamos a fazer depois que existíssemos. E tampouco esse Seu conhecimento prévio tem a ver com a preexistência desses Seus filhos, porque nenhum deles preexistiu antes de nascer – exceto Jesus – mas esse conhecimento de antemão que Deus possui de Seus filhos tem a ver com seus atributos. Deus conhecia esses Seus filhos desde antes da fundação do mundo porque eles estavam Nele na forma de atributos, de genes. Foi lá que Deus os conheceu. Foi esse conhecimento prévio de Seus filhos que Deus usou como o Seu único critério para salvá-los, e não pelo conhecimento prévio das futuras obras que fariam quando viessem à existência, pois suas obras serão apenas o resultado de sua filiação divina.

Somos Genes do Pai Eterno

O irmão Branham tenta nos explicar isso fazendo um comparativo com os filhos de um pai que já existiam nele como atributos na forma de genes seus. Antes que eles viessem à existência, seus filhos já estavam nesse pai na forma de genes.

A União Invisível da Noiva (25/11/1965) §§ 59-60
E qualquer filho é os atributos de seu pai, e assim como você estava nos genes de seu pai, e no corpo de seu pai quando ele era um jovem garoto. Você estava nele. No entanto, ele não poderia ter comunhão com você, porque ele não conhecia você. Mas então, através do campo de cultivo de uma mãe, você foi trazido para a Terra e se tornou na imagem de seu pai, então ele poderia ter comunhão com você. (Agora o irmão Branham vai usar essa mesma ilustração para explicar como os filhos de Deus surgiram) E assim, vocês eram filhos de Deus e filhas de Deus, antes mesmo de haver uma lua, estrelas, ou uma molécula. (Ou seja, antes mesmo de termos uma existência, antes mesmo de nascermos, nós já éramos filhos. Isso significa que ninguém se tornou um filho de Deus por livre-arbítrio baseado numa escolha feita em seu tempo existencial de vida. Isso seria simplesmente ridículo, pois essa não é a teologia de William Branham) Vocês eram filhos e filhas de Deus, pois vocês são simplesmente a manifestação física dos atributos que estavam em Deus no princípio.

Deus conhecia esses atributos e sabia que você era um deles. Ele te conheceu lá. Ele não tinha companheirismo com você porque você ainda não existia, mas você já estava em Deus antes da fundação do mundo como uma parte Dele. Todos os filhos de Deus são partes de Deus.

Vamos ver outra explicação que o irmão Branham deu a respeito disso:

Coisas Que Hão de Ser (5/12/1965) § 32
Agora, a única maneira pela qual você pode ser um filho, uma filha de Deus... (Só existe uma maneira de você poder ser um filho ou uma filha de Deus, e isso não é por livre-arbítrio. Isso nada tem a ver com alguma vontade sua ou escolha que você tivesse feito. Você foi feito filho de Deus; não foi você que se fez sozinho filho ou filha Sua) porque você tem que ter a Vida Eterna. E há somente uma forma de Vida Eterna, e esta é a Vida de Deus. Somente uma forma de Vida Eterna, que foi Deus. Aí, para ser um filho de Deus, você sempre teve que estar Nele. Os genes de sua Vida, a Vida espiritual nesta noite, (Não a vida natural) estava em Deus, o Pai, antes mesmo de haver uma molécula. Vê? E você não é nada a não ser uma manifestação dos genes da vida que estava em Deus como um filho de Deus. (Pode um filho depois que nasce decidir ter os genes de seu pai ou de sua mãe? Claro que não, pois isso já lhe foi imposto. Não lhe cabe decidir ter ou não os genes de seus pais. Da mesma forma, não cabe a alguém determinar por si mesmo se quer ou não ser um filho de Deus com todos os genes Dele em si. Ninguém pode ser filho de Deus a menos que já tenha nascido com os Seus genes para ser) Agora você está expressado, depois que Sua Palavra entrou em você, a Luz para esta era. Você está expressando a Vida de Deus em você, porque você é um filho ou uma filha de Deus. Portanto, vê o que eu quero dizer? Vê? Você está em... você está agora feito, você está assentado nesta igreja esta noite, porque o seu dever é expressar Deus a esta nação e a estas pessoas, e a esta vizinhança onde você se associa. Seja onde for que você estiver, Deus sabia que você estaria aqui, porque você tem que ser um de Seus genes ou Seus atributos.

Foram estes genes ou atributos que Deus conheceu de antemão. Desde o princípio Deus sabia que você pertencia a Ele. Então foi assim que Deus te conheceu de antemão. Nada a ver com as escolhas que você faria no futuro e depois com base nessa informação prévia Deus te predestinaria. Esse é o falso ensino da predestinação. Você não pode interpretar o ensino de William Branham sobre a predestinação deixando este seu outro ensino de lado, do contrário você estará afirmando que você se tornou genes de Deus por escolha tua. “Ah como estou vendo previamente que fulano irá Me escolher então Eu de imediato farei dele genes Meus”. Como poderia Deus mudar Sua genética e acrescentar algo a Si ou mesmo tirar, se Deus não muda?

Porque aos que de antemão conheceu também os predestinou...

Porque Ele sabia que você teria as mesmas características Dele, por ser os Seus genes e atributos, Ele te predestinou para algum dia vir à existência a fim de ter comunhão com Ele após ser chamado. Portanto Deus não te predestinou porque sabia que algum dia você O escolheria por livre-arbítrio, mas Ele te predestinou porque já sabia que quando você viesse à terra levaria os genes Dele consigo, pois você já estava Nele na forma de atributo.

Fomos Ordenados a Ser Como o Filho Primogênito

Agora, Paulo disse que Deus te predestinou para um único propósito:

...para serem conformes à imagem de Seu Filho, a fim de que Ele seja o primogênito entre muitos irmãos.

Por que Deus nos predestinou para sermos igual ao Seu Filho? Qual é a razão?

Efésios 1:3-4
Bendito o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, o qual nos abençoou com todas as bênçãos espirituais nos lugares celestiais em Cristo; como também nos elegeu Nele antes da fundação do mundo, para que fôssemos santos e irrepreensíveis diante Dele.

Em Quem Deus nos elegeu? Em Seu Filho. Em outras palavras, todas as características que os filhos de Deus possuem devem ser as mesmas que Deus colocou em Seu Filho. O que Jesus é, assim devem ser os Seus demais irmãos. Quando Deus viu Seu Filho lá no princípio quando O gerou, ali Ele estava também ao mesmo tempo contemplando toda a Sua filiação, pois ela teria exatamente as mesmas características que o Seu Filho Unigênito estava demonstrando. Todos os demais filhos seriam como Cristo, e é isso que quer dizer a palavra “cristão”. Deus viu a você quando contemplou o Seu Filho gerado. Hoje Deus salva a quem? Todos os que são como Cristo, porque todos foram eleitos em Cristo.

2 Timóteo 1:8-9
Portanto, não te envergonhes do testemunho de nosso Senhor, nem de mim, que sou prisioneiro Seu; antes participa das aflições do evangelho segundo o poder de Deus, que nos salvou, e chamou com uma santa vocação; não segundo as nossas obras, (Ou seja, Deus não nos salvou e chamou baseado no conhecimento prévio de nossas futuras escolhas e volições, nem segundo o nosso livre-arbítrio) mas segundo o Seu próprio propósito (Também derivado de “protithemai”, “determinação”. Antes da fundação do mundo Deus determinou nos salvar e chamar) e graça que nos foi dada em Cristo Jesus antes dos tempos dos séculos.

Antes dos tempos dos séculos ou dos tempos eternos Deus conheceu você em Seu Filho. Paulo está nos dizendo que o Seu Filho Jesus teve uma preexistência antes da criação, e lá Deus nos predestinou em Seu Filho. Se Ele nos salvou com base em uma determinação Sua por nos ter elegido em Seu Filho antes da fundação do mundo, isso significa que fomos salvos antes da fundação do mundo. Isso confirma o que o irmão Branham disse de que nós, como filhos de Deus, sempre fomos salvos. Cada filho de Deus é um verbo, um logos, a Palavra como atributos ou pensamentos de Deus expressados.

Então tudo isso que vimos confirma de que a eleição de Deus é a causa de nossa salvação, e não o resultado de nosso livre-arbítrio ou escolha. Deus nos elegeu porque estávamos Nele ou em Seu Filho antes dos tempos eternos. Nosso livre arbítrio nada tem a ver com a nossa salvação. Se nossa salvação fosse fruto de nossas escolhas, então ao invés de amarmos a Deus porque Ele primeiro nos amou, conforme está escrito, deveria ter ocorrido o inverso, ou seja, Deus nos amou porque nós O amamos primeiro.

Os Que Não Refletem a Imagem de Seu Filho

Mas veja que esse chamado é somente para aqueles que Deus de antemão salvou ou predestinou. Os que não pertencem à eleição não são conhecidos por Deus no sentido de serem partes Dele ou de Seus genes. Aqueles que são destinados à ira não o são porque Deus decidiu entregá-los à perdição por saber quais seriam seus atos futuros. Eles são entregues à perdição simplesmente por não conseguirem refletir Cristo em Suas vidas, pois a eleição está apenas em Cristo, Seu Filho. Deus não conhece a ninguém a não ser o Seu Filho. Todos aqueles que são como Cristo são salvos e conhecidos por Deus. Os eleitos são salvos porque todos eles foram representados em Cristo. Todos aqueles que não são como Cristo não serão salvos porque não tiveram nenhuma representação no Primogênito.

“Nunca Vos Conheci”

Então lembre-se que Deus nos escolheu para produzir frutos e para que esses frutos permanecessem, e Jesus disse que a árvore se conhece pelos seus frutos. Porém Ele disse que aqueles que não produzem bons frutos não são conhecidos pelo Senhor, ou seja, não os viu como Seus genes ou atributos. Deus não os ignora; Ele os conhece, mas não como Seus filhos.

Mateus 7:18-22
Não pode a árvore boa dar maus frutos; nem a árvore má dar frutos bons. Toda a árvore que não dá bom fruto corta-se e lança-se no fogo. Portanto, pelos seus frutos os conhecereis. Nem todo o que Me diz: Senhor, Senhor! Entrará no reino dos céus, mas aquele que faz a vontade de Meu Pai, que está nos céus. Muitos Me dirão naquele dia: Senhor, Senhor, não profetizamos nós em Teu nome? E em Teu nome não expulsamos demônios? E em Reu nome não fizemos muitas maravilhas? E então lhes direi abertamente: Nunca vos conheci; apartai-vos de Mim, vós que praticais a iniqüidade.

Cristo conhece a todos. Como então Ele poderá dizer para esses “nunca vos conheci”? Quer dizer que na Sua presciência nunca os viu como Seus atributos ou genes, embora Ele soubesse que eles seriam genes ou atributos da Serpente. Para os fariseus que O crucificariam Jesus disse:

João 5:42
Mas bem vos conheço, que não tendes em vós o amor de Deus.

Lembra do que o irmão Branham disse? “Se você ama o Senhor, você fará o que é certo”. Mas para você saber como amar corretamente você precisa ser ensinado pelo Espírito Santo, e se estes não O amam porque não possuem o Espírito de Deus neles. Mas se Ele disse aqui que os conhece, como poderá dizer naquele diz que nunca os conheceu? Poderá Deus então mentir naquele dia? Não. Quando Ele diz que não os conhece é porque Ele nunca os viu de antemão pela Sua presciência representados em Seu Filho, pois todos os que são chamados foram escolhidos Nele. Quando Deus olha para um homem e uma mulher e vê Cristo neles, estes são salvos; mas se Deus olhar para alguém e ver a eles mesmos com suas próprias obras ao invés da obra do Calvário, com seus próprios pensamentos e doutrinas ao invés de Sua Palavra, eles estarão perdidos.

Uma Representação em Cristo

O irmão Branham chegou a citar um exemplo sobre alguém que tinha uma representação em Cristo e de outro que não possuía.

Futuro Lar da Noiva Celestial (2/08/1964) §§ 132-141
Agora esta pequena mulher, sua primeira vida aqui em cima, ela era uma prostituta. Ela estava lançada a se perder, porém no profundo dela, aqui, havia simplesmente um pouquinho de entendimento. “Eu sei que quando o Messias vier...” Aquilo estava ali. Observe, quando Jesus veio e manifestou a Palavra, ora a Palavra discerniu os pensamentos que estavam no coração (como Hebreus 4 diz que isto será - 4:12 - o que Ele)... a Palavra era um discernidor dos pensamentos do coração, e Ele veio como o Filho do homem, o Profeta. O que aconteceu? Aquele sacerdote unicamente com ensinamento intelectual disse: “Ele é um diabo”, porque é disso que sua denominação o chamou. O que fez isto? Ele não tinha representação, então aquilo se enegreceu para ele. Mas esta mulherzinha não tinha nada para apresentar; ela era tão suja e imunda quanto podia ser. Mas veja, em seu profundo ela tinha representação! E então, ela estava buscando que isso fosse feito carne, e quando Ele disse: “Vá e busque seu esposo e venha aqui”. Ela disse, “Senhor, eu não tenho nenhum”. Disse: “Você disse a verdade”, porque você teve cinco, e o que você tem agora não é seu. Você tem tido cinco; esse faz seis que você tem”. Ela disse, “Senhor, não... Você não é Belzebu! Eu percebo que você é um Profeta! Agora, nós sabemos que o Messias, o qual é chamado Cristo virá; quando Ele vier, Ele fará isto”. Ele disse: “Eu sou Ele!” Não houve mais dúvida! Você não pode explicar isso! Ela viu; ela creu naquilo. ...?... Por quê? O que fez aquilo a ela? Aquilo a redimiu! Agora observe, Ele veio a ser um Redentor. É isso mesmo? O que significa redimir? - trazer de volta. (Trazer de volta para o lugar onde primeiro estava. Nós estávamos em Deus, e agora um por um Deus está trazendo todos os Seus filhos de volta ao lugar onde primeiro estavam, que era em Cristo) Porque Ele não obteve o sacerdote? Ele nunca esteve ali em cima! Ele não tinha representação. (Ou seja, não foi eleito em Cristo. Não tinha genes, não era atributos de Deus. Certamente que Deus sabia que ele algum dia existiria, Deus tinha presciência disso, mas Ele não o conheceu de antemão como um atributo Seu. Ele não o viu quando contemplou ao Seu Filho lá no princípio. Mas quando Deus lá no princípio olhou para o Seu Filho, Ele viu aquela mulher samaritana Nele.) Ele veio para redimir aquilo que tinha caído. Na queda isso conseguiu enredar aquela moça, mas Deus a tinha em Seu pensamento antes da fundação do mundo, e Ele veio para limpá-la. (Nós não tínhamos uma preexistência, mas estávamos na mente de Deus, portanto ele nos pré-conheceu) Então ele sabia que ele tinha Vida Eterna. Vê? Onde o sacerdote... Que fez a ele? O enviou diretamente de volta ao seu destino. Ele para começar não tinha nada - unicamente o ensinamento intelectual. Agora ouçam, amigos, se a única coisa que você em é o ensinamento intelectual, obtenha algo diferente disso! E você nunca será capaz de obter isto a menos que você tenha obtido representação.

A União Invisível da Noiva (25/11/1965) § 241
No princípio era a Palavra e se a Palavra era Deus, então você estava em Deus. (Nós somos partes de Deus, Seus genes) A Palavra, a parte que havia de realizar, esteve em Deus antes da fundação do mundo. Ele te viu, te conheceu, te predestinou para isto. Eu digo a vocês tal como essa águia reconheceu essa voz, assim também reconhece o verdadeiro cristão nascido de novo a Voz de Deus falando através da Palavra, quando eles vêem isto ungido e vindicado.

João 10:14
Eu sou o bom Pastor, e conheço as Minhas ovelhas, e das Minhas sou conhecido.

João 10:27
As Minhas ovelhas ouvem a Minha voz, e Eu conheço-as, (Do grego “ginosko”) e elas Me seguem.

A palavra “ginosko”, que se traduz como “conhecimento” é mais do que apenas uma compreensão intelectual, mas tem mais a ver com um “conhecimento experimental” ou de um conhecimento baseado na experiência real.

As Ações dos Filhos Não São Predestinadas

A presciência de Deus quanto à eleição está portanto apenas na pessoa em si, e não em suas ações. É por isso que Paulo disse a Timóteo que Deus nos chamou não segundo nossas obras, porque o que Deus viu não foram as nossas ações, mas nossa semente, nossa natureza, nossa estirpe, nosso pedigree. O filho é predestinado, porém não as suas ações ou obras; estas são frutos da suas próprias escolhas pessoais, porém a sua salvação não. Deus é responsável somente pela Sua eleição, mas cada filho Seu deve prestar contas de seus atos, sejam certos ou errados.

Os pais plantam o DNA em seus filhos e, portanto, muitos dos seus traços e características e atributos que esperam deles para refletir, mas isso não significa que eles aprovam cada coisa que os filhos fazem. É por isso que se castiga cada filho que se ama. O DNA é predestinado por plantar a semente, mas as ações não são predestinadas só porque o DNA é predestinado.

Jeremias 1:5
Antes que Eu te formasse no ventre Eu te conheci.

1 Coríntios 8:3
Se alguém ama a Deus, esse é conhecido Dele.

Se alguém ama a Deus, é porque o mesmo tem sido conhecido por Deus. Em outras palavras, Deus estabeleceu um relacionamento com essa pessoa antes mesmo que eles se conhecessem, e, assim, porque Deus tinha estabelecido o relacionamento em ação, assim a resposta da pessoa amada por Deus era amar a Deus em troca.

1 João 4:19
Nós amamos a Ele porque Ele nos amou primeiro.

2 Timóteo 2:19
O Senhor conhece os que são Seus.

O Que Deus Anteviu Foi a Natureza das Pessoas

O pré-conhecimento para a eleição nunca é usado nas Escrituras em relação a eventos ou ações; por exemplo, Deus não escolheu alguém porque teve um pré-conhecimento das obras e das escolhas do eleito. Mas em todos os casos, é usado em referência a pessoas. O critério do Seu chamado está em conhecer as pessoas em si e suas naturezas, não o que elas haveriam de fazer. São as pessoas que Deus conhece de antemão, e não as ações dessas pessoas. Portanto, podemos dizer que a pessoa conhecida de antemão será conforme a imagem do Primogênito, e não necessariamente que todas as suas ações serão aprovadas, mas o eleito será aprovado.

 1 Pedro 1: 2
Eleitos segundo a presciência de Deus Pai.

Então nós somos eleitos não porque as nossas obras foram conhecidas por Deus de antemão, mas por causa da nossa representação em Cristo. Não são as nossas ações que são conhecidas de antemão, mas as pessoas é que são conhecidas de antemão.

Salmo 2:7
Proclamarei o decreto: o Senhor me disse: Tu és Meu Filho, Eu hoje Te gerei.

Essa palavra “decreto vem do hebraico “choq” que quer dizer “ação prescrita”, “decisão”; “obrigação prescrita”; “ordenança”. Jesus foi declarado filho por Deus mediante um decreto, uma determinação. E todos nós naquele dia nos tornamos filhos de Deus pelo Seu mesmo decreto e determinação.

Portanto, quando os homens dizem que Deus previu qual seria a sua escolha e, deste modo, fez a Sua eleição ou escolha baseado na escolha do eleito, eles não estão manejando bem a Palavra da verdade, pois estão colocando a carroça à frente dos bois.

Deus não elegeu ninguém porque Ele previu que iriam crer, pela simples razão de que nenhum pecador pode crer até que Deus lhe dê uma medida de fé para crer; assim como ninguém vê até que Deus lhe dê visão para ver. Na verdade, nós recebemos o Espírito Santo de Deus para que possamos ser capazes de ver como Ele vê. A visão é um dom de Deus; crer é um dom de Deus, e ver é a consequência de usar o dom da fé. Crer não é um ato meritório, mas uma graça dada pelo dom. Deus não somente conhecia o fim desde o princípio, mas Ele mesmo planejou, determinou, predestinou e decretou tudo desde o começo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário