sábado, 7 de maio de 2016

Apostatando da Fé

Apostatando da Fé

17 de janeiro de 2016

Diógenes Dornelles

1 Timóteo 4:1-2
Mas o Espírito expressamente diz que nos últimos tempos apostatarão alguns da fé, dando ouvidos a espíritos enganadores, e a doutrinas de demônios; pela hipocrisia de homens que falam mentiras, tendo cauterizada a sua própria consciência.

2 João 8-9
Olhai por vós mesmos, para que não percamos o que temos ganho, antes recebamos o inteiro galardão. Todo aquele que prevarica, e não persevera na doutrina de Cristo, não tem a Deus. Quem persevera na doutrina de Cristo, esse tem tanto ao Pai como ao Filho.

Estas duas Escrituras tratam basicamente da mesma situação, onde alguém apostata ou abandona a fé, como disse o apóstolo Paulo, ou a doutrina de Cristo, como disse apóstolo João. Aqui em sua epístola, João usou a palavra “prevaricar” que vem do grego “parabaino”, que significa “ir para o lado de”, “passar a frente ou por sobre sem tocar em algo”, “ultrapassar”, “negligenciar”, “violar”, “transgredir”, “passar tanto a ponto de desviar-se”, significa também “alguém que abandona sua verdade”. Ou seja, alguém que prevarica é alguém que antes acreditava em algo, mas depois por algum motivo desistiu de crer por abandonar a sua fé ou por ter ido além do que ela prescrevia crer.

O apóstolo Paulo usou a expressão “apostatar”, que vem do grego “aphistemi”, que quer dizer “retroceder”, “afastar-se”, “excitar à revolta”, “manter-se de lado”, “abandonar”, “tornar-se infiel”, “afastar-se de”, “fugir de”. Paulo disse então que nos últimos dias alguns crentes abandonariam a fé que antes defenderiam. No estudo anterior onde tratamos sobre o tema de “Andar Como Cristo Andou”, nós citamos uma outra Escritura de Paulo onde ele disse que “Há um só Senhor, uma só fé, e um só batismo”. Essa única fé da qual Paulo se referia era acerca de uma confissão doutrinária que deveria nortear toda a Igreja de Cristo sobre a terra até que Ele retornasse.

Fé é Uma Revelação

O irmão Branham ensinou bem no final de seu ministério de que fé é uma revelação. A primeira vez que ele disse isso foi na mensagem “Os Ungidos dos Últimos Dias”.

Os Ungidos dos Últimos Dias (25/07/1965) §§ 53-54
O que é fé? Fé é algo que é revelado a você; que ainda não é, mas você crê que será. Fé é uma revelação da vontade de Deus. Assim, por revelação! E as igrejas hoje nem sequer crêem em revelação Espiritual. Elas crêem num ensinamento dogmático de algum sistema. “Por revelação Abel ofereceu a Deus maior sacrifício que Caim, o qual Deus testificou que ele era justo”. Amém. Eu espero que você veja isso. Vê onde estamos vivendo? Vê a hora?

Ele nunca havia feito tal declaração como essa antes disso em todo o seu ministério. E a última vez que o irmão Branham mencionou isso foi justamente em seu último sermão doutrinal:

O Arrebatamento (04/12/1965) § 66
Não se pode ter uma revelação sem que seja fé. Fé é uma revelação, porque é algo que lhe é revelado. Fé é uma revelação. Fé é algo que lhe foi revelado, como foi a Abraão, que podia chamar qualquer coisa contrária ao que lhe havia sido revelado, como se não fosse assim. Agora, fé, é isso que é fé, é a revelação de Deus. A Igreja está edificada sobre uma revelação, o Corpo inteiro, todo.

Então se a igreja está edificada sobre uma fé que é uma revelação de Deus, essa revelação tem que ser também o Seu fundamento. E o apóstolo Paulo disse que só existe um único fundamento no qual a Igreja está assentada, que é Cristo.

Jesus Cristo é o Único Fundamento da Igreja

1 Coríntios 3:10-11
Segundo a graça de Deus que me foi dada, pus eu, como sábio arquiteto, o fundamento, e outro edifica sobre ele; mas veja cada um como edifica sobre ele. Porque ninguém pode pôr outro fundamento além do que já está posto, o qual é Jesus Cristo.

Portanto se a igreja está edificada sobre um fundamento, e este fundamento é Jesus Cristo, então a fé sobre a qual a igreja deve estar edificada é sobre a revelação de Jesus Cristo, e se alguém abandona essa fé, seria não somente rejeitar a uma revelação, mas desprezar e abandonar o próprio Cristo.

Agora, essa palavra “fundamento” que o apóstolo Paulo usou aqui vem do grego “themelios” que quer dizer “assentado como fundamento”, “bases”, “princípios básicos” ou ainda “instituição ou sistema de verdades”. Então o que Paulo fez foi justamente isso: ele estabeleceu para a igreja gentílica uma série de sistemas de verdades e princípios básicos nos quais ela deveria se fundamentar e nortear. Paulo pregou uma série de temas tais como a predestinação, soberania de Deus, justificação pela fé, sobre a Divindade, a relação entre Deus e o Seu Filho, tratou também sobre a adoção de filhos, o batismo e o Selo do Espírito Santo, os dons espirituais, a semente da serpente, casamento e divórcio, enfim; porém nada disso que ele ensinou era algo que ele havia concebido em suas elucubrações e estudos pessoais, mas pelo contrário, tudo isso era uma revelação de Deus que foi dada ao Seu apóstolo. E a segurança que Paulo tinha no seu chamado e ministério era tanta, que ele nunca precisou consultar nenhum dos outros apóstolos de Jesus para saber se aquilo que ele estava ensinando estava correto ou não, porque ele confiava naquilo que Deus lhe havia revelado.

Mas veja que Paulo resumiu todos aqueles ensinos e princípios básicos sobre os quais a Igreja estava sendo fundamentada com o nome “Jesus Cristo”, porque tudo o que ele ensinou era na verdade uma fé revelada, a qual era a revelação de Jesus Cristo.

Quando o irmão Branham relevou os mistérios dos Sete Selos, ele nos disse que tais mistérios eram igualmente princípios básicos ou sistemas de verdades que foram se perdendo com o passar dos anos, mas que conforme havia sido profetizado, todas aquelas verdades seriam restauradas e os mistérios seriam revelados nos últimos dias, e ele listou para nós alguns dos mistérios que estavam nos Selos:

Ao Nascer do Sol (18/04/196) § 12
E então Ele me falou ali mesmo e disse: “Os Sete Selos serão abertos. Os sete mistérios, o mistério sétuplo da Bíblia que esteve oculto desde a fundação do mundo, será revelado”. E nós, embora um grupo pequeno e humilde comparado com todo mundo, temos nos regozijado com estas bênçãos, havendo escutado estes mistérios. Casamento e divórcio, semente da serpente, e todas aquelas diferentes questões foram completamente reveladas a nós, não pelo homem, mas por Deus mesmo, que abriu estes sete mistérios; do que a Igreja era, como Isso estava em Cristo no princípio, e como Isto seria revelado no último dia.

Veja que alguns destes mistérios eram doutrinas apostólicas que se perderam no decorrer das eras, mas que em seu ministério foram trazidas à Igreja novamente. Porém mais adiante ele fará exatamente a mesma coisa que Paulo fez, resumindo todos os mistérios dos Selos – que também eram a doutrina dos apóstolos – como sendo tudo a revelação de Jesus Cristo.

Ao Nascer do Sol (18/04/1965) § 308
Foi Ele Quem abriu esses Selos; Ele é esses Selos, porque toda a Palavra de Deus é Cristo, e Cristo é os Selos que foram abertos. O que é a abertura dos Selos então? Revelando Cristo.

Então todos os princípios básicos e os mistérios que foram abertos nos Selos era Jesus Cristo revelado, e como já entendemos até aqui, a revelação de Jesus Cristo é o fundamento da Igreja no qual Ela está edificada.

Porém veja que Paulo disse que nenhum outro fundamento ou revelação deveria ser posta no lugar desta, porque se for uma revelação diferente de Jesus Cristo, esse fundamento ou revelação seria falso, ou seria um outro Cristo; mas como disse Paulo, “há um só Senhor e uma só fé”. Então trocar esse fundamento por outro seria o mesmo que apostatar dessa fé. Porém como a fé é uma revelação, então para que alguém pudesse substituí-la por outra, esse indivíduo na verdade não poderia ter recebido uma revelação. Muito provavelmente a fé que alguém possuísse seria uma fé intelectual, que como já estudamos, não é suficiente para que alguém possa se firmar, pois somente uma fé revelada é que mantêm o crente em sua posição sobre o mesmo fundamento no qual a Igreja está fundamentada.

Uma Falsa Inspiração

Um dos erros mais frequentes é de alguém substituir esse fundamento ou revelação por algum tipo de inspiração. Muitos pregam baseado em uma inspiração, tomam decisões e fazem escolhas baseadas em algum tipo de inspiração, porém se essa inspiração não se enquadrar com a Palavra ela é falsa, porque toda a inspiração para ser genuína e correta tem que concordar com a Palavra de Deus.



Demonologia – Estado Religioso (09/06/1953) § 29
Eu não tenho muita instrução, mas tudo o que sei recebo através de inspiração. E se essa inspiração não concorda com a Bíblia, então está errada. Está vendo? Tem que ser a Bíblia. Não importa que inspiração seja, tem que vir... Aqui está o fundamento de Deus. Nenhum outro fundamento foi colocado a não ser Este. E o que Isto é, se o que eu disser estiver contrário a Isto, que as minhas palavras sejam mentira, porque Isto é a Verdade. Está vendo? Está vendo? E se um anjo lhe disser algo que seja diferente Disto, Paulo disse: “Que seja anátema,” mesmo um anjo de Luz.

Então como o fundamento da igreja está baseado na doutrina apostólica, o cuidado que todo o crente deve ter é de procurar se assegurar de que a sua doutrina ou inspiração esteja baseada somente no Assim Diz o Senhor, pois Deus não irá reconhecer nenhum outro fundamento ou doutrina que seja diferente daquilo que Ele já nos declarou.

A Serpente de Bronze (21/11/1953) § 4 – sem tradução
Eu quero começar isto sobre a Palavra de Deus, pois afinal de contas, Este é o único fundamento sobre o qual alguém pode edificar corretamente. Deus nunca irá reconhecer qualquer fundamento a não ser esta Palavra. “Porque nenhum outro fundamento pode ser colocado além do que já está posto”. É isso…? E esta é a Palavra de Deus no princípio, se qualquer outra coisa for dita, se isso não se compara com esta Palavra, então não é de Deus, eu não pensaria; porque a Bíblia diz: “Aquele que tira ou acrescenta, o mesmo deve ser retirado, sua parte, do Livro da Vida”. Então nós queremos ter a certeza de que nós guardamos nossa doutrina sempre sobre o ASSIM DIZ O SENHOR. E se em algum momento qualquer pessoa descobrir algo em minha reunião que não esteja baseado na Palavra de Deus, você deve isso a mim como um irmão ou uma irmã, de me informar sobre isso. Venha até a mim, escreva-me, de alguma forma me avise; eu certamente quero isso.

A Verdade Espiritual Revelada

Agora, qual é a revelação acerca de Jesus Cristo pela qual a Igreja está fundamentada? Nós precisamos saber, a fim de que nenhuma outra revelação por mais inspirada que seja, ocupe o seu legítimo lugar, se tal inspiração não for a verdadeira. Vamos deixar para que o irmão Branham responda a essa pergunta.

Fazendo Um Caminho (04/03/1953) § 93 – sem tradução
Mas irmão, Deus fez um meio de escape, e você terá que vir nos termos de Deus, e isso é por meio de Cristo Jesus, nosso Senhor. Nenhum outro fundamento é posto, a não ser o que já foi posto. Nem – ninguém para edificar sobre qualquer outro fundamento, como restolhos e lama; as inundações arrastarão isso para longe e grande será a ruína. Mas Jesus disse: “Sobre esta pedra edificarei a Minha Igreja, e as portas do inferno não prevalecerão contra Ela”. Sobre o que é que Ele edificou? Sobre a verdade espiritual revelada de que Ele é o Filho de Deus. (Veja que é sobre esta fé revelada, sobre esse fundamento, que toda a Igreja deve estar edificada e nenhum outro fundamento deve ser posto no lugar deste: de que Jesus Cristo é o Filho de Deus) “Que homem dizem que Eu, o Filho do homem sou?”. “Alguns dizem: Elias, e alguns dizem Moisés, e alguns dizem que é João Batista, e assim por diante”. “Mas vós, quem dizeis que Eu sou?”. Sem hesitar, sem tomar um segundo... Ouça pecador, é dessa maneira que você recebe isso. Ele havia estado com Ele, ele sabia o que Ele era. E então, antes que ele pudesse sequer pensar uma segunda vez, o Espírito Santo Se apossou dele e ele disse: “Tu és o Cristo, o Filho do Deus vivo”. Disse: “Tu... Bendito és tu, Simão - Simão Barjonas, pois a carne e o sangue não te revelaram isto. Você nunca aprendeu isto pela teologia de alguém, nunca vêm de um seminário com isso, mas Meu Pai que está no céu revelou para você. (Então o que Pedro recebeu foi uma fé revelada na qual toda a Igreja está fundamentada) Sobre esta pedra (Sobre esta revelação de que Jesus é o Filho de Deus) edificarei a Minha igreja; e as portas do inferno não prevalecerão contra Ela”.

As portas do inferno podem inspirar a todos os ministros e teólogos que elas quiserem, mas nenhuma de suas inspirações, sejam elas trinitárias ou unicistas, poderão remover esse fundamento sobre o qual a verdadeira Igreja está edificada, que é Jesus Cristo, o Filho de Deus.

Jeová Jiré (09/02/1961) § 50 – sem tradução
Bem, Deus levantará todos os tipos de coisas, se a igreja simplesmente ficar em condições de recebê-las, mas Ele nunca irá edificar a Sua fundação sobre algo que o homem estabeleceu. “Pois não há nenhum outro fundamento que possa ser colocado além do que está posto, Cristo Jesus, o Filho de Deus”, e a revelação de que Ele edificaria Sua igreja sobre Cristo Jesus. Sim senhor.

Jesus Cristo é o Mesmo Ontem, Hoje e Eternamente (26/04/1956) § 20 – sem tradução
Agora, eu creio que todo o ensino da Bíblia, ou cada igreja e cada revelação (Ouça.), tudo deve ser edificado sobre esta Palavra. Se alguém ensina alguma coisa contrária à Palavra, eu não acreditaria. Vê, vê? Esta Bíblia é o fundamento de Deus e não há nenhum outro fundamento que possa ser colocado, a não ser o que já está posto, Cristo Jesus.

A Maneira Como Cada Um Edifica

Então este é o primeiro problema que Paulo aqui nos apresenta. Depois ele irá mencionar um outro problema o qual nós iremos examinar agora.

1 Coríntios 3:12-15
E, se alguém sobre este fundamento formar um edifício de ouro, prata, pedras preciosas, madeira, feno, palha, a obra de cada um se manifestará; na verdade o dia a declarará, porque pelo fogo será descoberta; e o fogo provará qual seja a obra de cada um. Se a obra que alguém edificou nessa parte permanecer, esse receberá galardão. Se a obra de alguém se queimar, sofrerá detrimento; mas o tal será salvo, todavia como pelo fogo.

Veja que esse problema apontado por Paulo é um pouco diferente do anterior, porque agora ele não está mais tratando acerca dos que substituem o seu fundamento por outro, mas sobre como cada um edifica sobre esse mesmo fundamento genuíno que ele estabeleceu para a Igreja. Portanto esse outro problema que ele está nos mostrando aqui não é menos grave e perigoso em comparação ao outro, porque agora ele está tratando de crentes e fiéis que edificam sobre o mesmo fundamento ou revelação, porém com objetivos e motivos diferentes, sendo que alguns edificam da maneira correta, enquanto que outros edificam da maneira errada.

Há os que creem corretamente sem abandonar aqueles princípios básicos doutrinais e formaram sobre isso um edifício com materiais duráveis como ouro, prata e pedras preciosas, ou seja, fazem tudo com motivos e objetivos corretos, enquanto há outros que creem e sustentam aqueles mesmos princípios, porém suas edificações são de material perecível, como madeira, feno, palha, que não se sustentam pela prova de fogo, em outras palavras, fazem algo com objetivos e motivos errados. Embora essa passagem possa ser aludida a qualquer um, Paulo na verdade está se dirigindo em particular aos que pregavam o seu Evangelho.

Nós tratamos um pouco sobre isso no estudo “A Doutrina Certa e o Coração Certo”, onde explicamos que quando alguém estuda a Bíblia ou a Mensagem com a sua mente carnal e sem um coração aberto – palavras do irmão Branham – essa pessoa pode até compreender muita coisa intelectualmente, mas ele não saberá agir com motivos e objetivos corretos. O crente pode ter a doutrina certa, mas o seu coração ou espírito pode estar errado, porque o irmão Branham disse que tudo que alguém faz será conforme a disposição do seu coração. As obras de palha, feno, etc, podem se referir a tudo aquilo que é feito para o reino de Deus fora de Sua perfeita vontade. E se tudo que eles possuem é apenas uma concepção mental, eles podem com isso reter o que é errado pensando estar certo, porque suas mentes não foram batizadas pelo Espírito Santo. Será exatamente isso que também possibilitará alguém a acrescentar algum ensino ou pensamento diferente daquele fundamento que foi assentado.

Mas Paulo disse que ainda que os esforços de alguns não sejam frutíferos aos olhos de Deus – porque resultarão em nada no final – eles podem ser salvos mesmo assim, desde que não tenham mudado o fundamento que Paulo havia lançado. Todas as obras que forem feitas com base nesta fé que foi dada, tem uma recompensa e um galardão, se foram feitas com motivos e objetivos corretos; do contrário, elas perderão o seu valor. É por essa razão que, como já dissemos em outro estudo, a salvação não pode ser confundida com o galardão; aquela é baseada na fé gratuita, enquanto que essa está baseada nas obras que fazemos, que pode ou não ter uma recompensa. Um galardão pode se perder, mas a salvação não se perde. Foi por isso que o apóstolo João disse no texto que citamos no início: “Olhai (do grego “blepo”, “pondere cuidadosamente”, “considere”, “contemple”, “volte os pensamentos”) por vós mesmos, (preste muita atenção no que você está fazendo, no que você está crendo e confessando, examine os teus motivos e objetivos, julgue aqueles a quem você está dando ouvidos) para que não percamos o que temos ganho, antes recebamos o inteiro galardão”.

Estas obras de pouco valor que se consomem pelo teste de fogo da Palavra, também tem a ver com as intenções erradas daqueles que ministram a Palavra, as quais podem ser inúmeras. Alguns pregam apenas para tentar criar um grupo para si e ser reconhecido por eles; outros fazem a obra por contenda, por discordar de um outro ministro, às vezes até por fingimento e discórdia. Paulo disse ter sido alvo de tais pregadores durante o tempo em que ministrou.



Filipenses 1:15-18
Verdade é que também alguns pregam a Cristo por inveja e porfia, (“Porfia” quer dizer “disputa”, “teimosia”, “competição”. Ou seja, eles pregam apenas por esses motivos, disputando com alguém, seja por um espaço ou pelo reconhecimento do povo, por unção, revelação, conhecimento, enfim.) mas outros (pregam) de boa vontade; uns, na verdade, anunciam a Cristo por contenção, não puramente, julgando acrescentar aflição às minhas prisões. (Esses ministros se aproveitavam da ausência de Paulo, por estar preso, para tentar desfazer todo o trabalho que ele havia feito, promovendo contenção por meio de falsas acusações, chamando Paulo de interesseiro e de tantas outras coisas. Essa palavra “contenção” vem do grego “eritheia” que significa “partidarismo”, “sectarismo”, ou seja, eles pregam a Palavra apenas com o único objetivo de apanhar um grupo de pessoas, tirando de um lugar para fazer um grupo separado, criando um sectarismo ou divisão no Corpo de Cristo ao invés de união. Era o que alguns estavam fazendo nos dias de Paulo, o qual é feito até hoje.) Mas outros, por amor, sabendo que fui posto para defesa do evangelho. Mas que importa? Contanto que Cristo seja anunciado de toda a maneira, ou com fingimento ou em verdade, nisto me regozijo, e me regozijarei ainda.

Ministros Com Motivos e Objetivos Errados

O que Paulo está dizendo aqui é que ele estava simplesmente satisfeito por todos estarem usando o mesmo fundamento que ele havia lançado, que foi a doutrina de Cristo, ainda que alguns falsos irmãos – termo que Paulo usou pelo menos duas vezes em seus escritos – estivessem edificando coisas sobre isso, que depois resultariam em nada, por conta dos seus falsos motivos e objetivos. O irmão Branham em diversas ocasiões chegou a criticar aqueles ministros que se aventuram a pregar o evangelho com motivos e objetivos errados.

Perguntas e Respostas (12/01/1961) §§ 29-33
Agora, aqui está a maneira de se fazer isto. Primeiro descubra... Bem, agora, este é um conselho; a única coisa que posso dar sobre isto é um conselho. Vê? Mas tenha certeza que o seu chamado vem de Deus, e então examine seus motivos e objetivos. Vê? Agora, você sabe o que eu quero dizer com isto. Qual é o seu motivo para pregar? (Essa é a questão principal que o profeta está levantando aqui. Qual é o verdadeiro motivo? É por inveja de alguém ou por sinceridade? É para fazer sectarismo, separação ou porque quer mesmo ajudar outros ministros a promover o Reino? É para realmente ganhar almas para Cristo ou para si mesmo e seu sistema? É para tornar o nome de Jesus conhecido ou é para que o seu próprio nome seja conhecido e famoso, ou seja, por popularidade?) Foi apenas... Você acha que isso era um trabalho mais fácil do que o que você tem? Então é melhor você esquecer isto; isso não foi um chamado. Um chamado de Deus arde tanto no seu coração que você não pode descansar dia e noite por causa disso. Você simplesmente não consegue se afastar disso; isso te deixa moendo constantemente. E – e se você tivesse que pregar... Você diz, bem agora, outro objetivo: “Eu creio no trabalho que tenho, se eu pudesse ser um evangelista de sucesso ou um pastor, ter um bom salário, ter uma casa para morar e assim por diante, (Ou seja, fazer da pregação do evangelho um meio somente para se locupletar e enriquecer) então eu – creio que isto seria uma coisa boa, muito mais fácil do que estou fazendo agora. E eu realmente penso que isto seria...”. Agora, veja, o seu objetivo está errado para começar. Veja, não está certo. Vê? Você – você está errado nisso aí. Então você diria: “Bem, talvez porque eu seja um – penso que talvez eu seria mais popular no meio do povo”. Veja, você descobrirá que está simplesmente pronto para uma grande decepção. (Vê?), realmente. Vê? Mas agora, se o seu objetivo é esse: “Não me importa se tenho que comer bolachas de sal e beber água pura, eu pregarei o Evangelho de qualquer maneira”. Algo simplesmente te dilacera por dentro, “ou eu prego o Evangelho ou morro” Vê? Então você – você irá para algum lugar, porque é Deus tratando com você. Deus Se fazendo conhecido para você, porque é Deus que simplesmente não deixará você descansar. E geralmente, um homem chamado por Deus nunca deseja fazer isto. Você já pensou nisso?

Todas as obras destes, cujos motivos e objetivos estão errados, como disse o irmão Branham, serão reduzidas ao pó. Eles podem até estar edificando sobre um bom fundamento, crendo intelectualmente em uma doutrina correta, porém as suas intenções e as suas obras serão tão enganosas quanto àqueles que substituíram o fundamento de Cristo por um falso, porque o fato de atuarem por meio de uma falsa inspiração ou motivação errada, os leva a uma sutil apostasia, e a da mais perigosa, porque como eu disse, eles crêem e pregam a doutrina certa, o que pode fatalmente enganar a muitos, porque suas intenções e interesses não estão corretos. Suas obras são de palha e feno; todas queimarão.

O irmão Branham se preocupava muito também sobre a questão de ministros que pregam a Palavra sem sequer terem sido chamados por Deus para isso, porque eles não somente arruínam a si mesmos como também aos que lhe escutam, e eles nem sequer se apercebem disso. Falam de amor sem praticá-lo; falam sobre obedecer a Palavra sem sequer conseguir fazer o mesmo; cobram fidelidade quando eles mesmos são traidores, enfim, um falso ministro leva muitos à apostasia não somente pelo seu falso ensino, mas também porque sequer consegue viver o que se prega.

Apocalipse Capítulo 4 Nº. 3 (08/01/1961) §§ 18-19
Viva os seus sermões. Não tente pregá-los se você não é chamado para ser um pregador; você ficará todo atrapalhado, de qualquer maneira, e confuso, e deixará as pessoas enroladas, e você nem saberá... Bem, você irá arruinar a eles e a si mesmo também. Simplesmente viva o seu sermão! O pregador é chamado para pregar o seu e de vivê-lo também. Se você não pode viver Isto, então pare de pregar Isto. Mas você deveria viver os seus sermões.

A Escritura na Parede (02/09/1956) § 66 – sem tradução
Lembre-se, é o motivo que você tem para com qualquer coisa que determina o que você será ao sair disso. São os seus motivos. Se os seus motivos estiverem certos, você ficará bem. Mas sempre deixe seus motivos corretos. Sirva ao Senhor com um propósito, porque você O ama, não porque você está com medo do inferno, não porque você está com medo de morrer, mas porque você O ama, O qual lhe amou quando você era indigno de ser amado.

A Divindade Explicada (25/04/1961) § 123
Enquanto os seus motivos estiverem errados, não importa qual seja o seu objetivo; mas o seu motivo para esse objetivo está errado, então isso nunca irá funcionar. Isso mesmo.



A Loucura dos Que se Dizem Sábios

Após tratar sobre os falsos fundamentos e dos que edificam erroneamente sobre um fundamento genuíno, Paulo nos dirá algo mais acerca dos que fazem tudo isso:

1 Coríntios 3:18-20
Ninguém se engane a si mesmo. Se alguém dentre vós se tem por sábio neste mundo, faça-se louco para ser sábio. Porque a sabedoria deste mundo é loucura diante de Deus; pois está escrito: Ele apanha os sábios na sua própria astúcia. E outra vez: O Senhor conhece os pensamentos dos sábios, que são vãos.

Esse é um outro terrível problema que tem assolado inúmeras igrejas e ministérios em nossos dias, que é quando pessoas se enganam a si mesmas, pensando ser o que elas não são. É daí que vem toda a divisão, apostasia e rebelião a Deus e Sua Palavra. Uma das grandes armadilhas de Satanás é tentar convencer alguém de que ele é superior aos outros só por causa do conhecimento que adquiriu, tornando-se sábio a si mesmo, quando na verdade estará agindo loucamente, pois aceitou ser ungido por um espírito que o conduz a seguir motivos e objetivos errados. O irmão Branham disse que uma pessoa que atua dessa maneira se torna pior do que qualquer outra.

Não Tenhais Medo, Sou Eu (23/01/1961) § 38 – sem tradução
Se você receber um espírito em você onde você seja melhor do que outra pessoa, então – então você é pior do que qualquer outro, que eu saiba. Não me interessa se você está sempre tão correto em sua teologia; seus motivos e objetivos estão errados.

Características do Tempo do Fim

O abandono da fé ou da revelação de Jesus Cristo é uma das características deste tempo do fim. A apostasia começa quando alguém pouco a pouco vai rejeitando uma Palavra de cada vez, até perder sua total identificação com Ela. E a razão de Deus poder mostrar a Paulo lá no passado os que renunciariam à Sua fé nestes últimos dias, é porque Deus conhecia quem serviria a Ele e quem não serviria, pois pela Sua presciência sempre soube quais os que Lhe pertenciam.

Queríamos Ver a Jesus (12/06/1958) § 26 – sem tradução
Existem pessoas nascidas – nós detestamos dizer isso – existem pessoas que nasceram para a destruição eterna. (Bem, se eles já nasceram assim então o seu “livre-arbítrio” não pode fazer nada para mudar isso) A Escritura diz isso. Romanos 8 (Ele quis dizer Romanos 9) disse: “Antes que Esaú ou Jacó nascessem ou viessem do ventre de sua mãe, Deus disse: ‘Eu odeio Esaú e amo Jacó’, antes que qualquer criança tivesse uma chance”. Deus, não pela predestinação de Sua vontade, mas por Sua presciência, sabia que Esaú era um impostor para começar. Desculpe esta expressão, mas isso apenas significa um renegado. Então isso é o que ele era. E Deus por presciência sabia disso.

Observe que o irmão Branham disse aqui que Jacó foi um renegado, e em outros sermões ele citará ainda outros exemplos como Ninrode que também foi um, e igualmente Acabe, que também foi chamado por ele de um crente fronteiriço. A palavra “renegado”, de acordo com o dicionário, quer dizer: “aquele que renega sua própria religião em nome de outra crença religiosa”; (ou seja, que troca uma fé por outra, que estabelece um outro fundamento. Também significa...) apóstata”; “aquele que renega suas antigas opiniões ou convicções”.

Então essa seria uma das características desses últimos dias, onde nossa geração seria formada em grande parte por um grupo imenso de renegados, que são pessoas que não se posicionam pela doutrina de Cristo pelos mais diversos motivos. Jesus disse que os tais não eram aptos para o reino.

Lucas 9:62
E Jesus lhe disse: Ninguém, que lança mão do arado e olha para trás, (em outras palavras, que renega sua fé, que se afasta, que se põe de lado, que prevarica a doutrina de Cristo, nenhum destes...) é apto para o reino de Deus.
A confissão da fé revelada é um passo importante para um filho de Deus poder dar o seu outro passo mais adiante, que é o de prepará-lo para a adoção de filho, que ocorre quando ele consegue com a sua vida refletir a imagem de Cristo em si, andando como Ele andou. Mas observe que o irmão Branham também chegou a dizer que todo o filho que não fosse adotado seria uma espécie de renegado também.

O Pacto da Graça de Abraão (17/03/1961) § 193 – sem tradução
Agora observe, no Antigo Testamento eles tinham... o filho nascia. Ele era um filho, mas ele tinha um tutor para observá-lo, para ver como ele se pareceria. E ele, o pai, sempre colocava o melhor professor que ele pudesse para o seu filho, qualquer pai faria. E assim o – o tutor observava o filho. E se o filho fosse apenas um renegado, (ou seja, um apóstata e prevaricador) que não desse nenhuma atenção, não quisesse ouvir, ele ainda era um filho, porque ele nasceu, ele é um filho, mas ele nunca tinha qualquer herança.

A Punição Para os Renegados

Deus sempre Se mostrou intolerante no passado com aqueles que abandonavam a Sua Palavra, e obviamente que Ele não poderia ser diferente em nossos dias. Vejamos algumas Escrituras onde Deus nos mostra como Ele trataria com os apóstatas.

1 Crônicas 28:9
Porque o Senhor esquadrinha todos os corações, e entende todas as imaginações dos pensamentos; se O buscares, será achado de ti; porém, se O deixares, rejeitar-te-á para sempre.

Isaías 1:28
Mas os transgressores e os pecadores serão juntamente destruídos; e os que deixarem o Senhor serão consumidos.

Jeremias 17:5
Assim diz o Senhor: Maldito o homem que confia no homem, e faz da carne o seu braço, e aparta o seu coração do Senhor!



Ezequiel 3:20
Quando o justo se desviar da sua justiça, (do hebraico “shuwb” que significa “voltar as costas para Deus, apostatar”; “afastar-se de Deus”, “desencaminhar”, “demonstrar afastamento”, “voltar ou virar para trás, repelir, repulsar, retardar, rejeitar, recusar”) e cometer a iniqüidade, e Eu puser diante dele um tropeço, ele morrerá.

Ezequiel 18:24
Mas, desviando-se o justo da sua justiça, e cometendo a iniqüidade, fazendo conforme todas as abominações que faz o ímpio, porventura viverá? De todas as justiças que tiver feito não se fará memória; na sua transgressão com que transgrediu, e no seu pecado com que pecou, neles morrerá.

Mateus 13:20-21
O que foi semeado em pedregais é o que ouve a Palavra, e logo A recebe com alegria; mas não tem raiz em si mesmo, antes é de pouca duração; e, chegada a angústia e a perseguição, por causa da Palavra, logo se ofende.

“Ofender”, vem do grego skandalizo, que significa “escandalizar”, “aborrecido”, “indignado”, “colocar uma pedra de tropeço ou obstáculo no caminho, sobre o qual outro pode tropeçar”, “seduzir ao pecado”. Por que isso? Porque dificilmente alguém que apostata se conforma em ficar só. Geralmente eles querem que outros apostatem junto com eles, explicando as suas razões para que outros possam também carregar a sua mesma bandeira de rebeldia.

João 15:6
Se alguém não estiver em Mim, será lançado fora, como a vara, e secará; e os colhem e lançam no fogo, e ardem.

A Rejeição da Sã Doutrina

Paulo também disse que viria o tempo em que alguns que antes se diziam crer acabariam não suportando a sã doutrina, porque ela mostra onde está o erro, e para alguns é mais fácil permanecer no erro do que querer corrigir-se, para não ter que admitir que estava errado.

2 Timóteo 4:3-4
Porque virá o tempo em que não suportarão a sã doutrina; mas, tendo comichão nos ouvidos, amontoarão para si doutores conforme as suas próprias concupiscências; (Ou seja, eles vão procurar ministros que preguem para eles aquilo que eles querem ouvir. Se eles querem alguém que lhes revele um novo nome, eles vão procurar alguém que faça isso para eles; se estiverem à procura de um deus unicista, eles buscarão por mestres especializados nisso; se eles quiserem descrer na Mensagem e chamar William Branham de falso profeta, eles buscarão por aqueles que lhes auxiliem nessa sua nova “fé”) e desviarão os ouvidos da verdade, (O que é isso? Apostasia) voltando às fábulas.

Essa palavra “fábula” vem do grego “muthos”, que quer dizer “estória”, “ficção”, “invenção”, “falsidade”. E se Paulo disse que eles estariam “voltando às fábulas”, é porque antes já estava ouvindo fábulas, falsidades e invenções. Quando alguém volta para aquilo que é falso eles não estão realmente voltando, porque na verdade eles nunca abandonaram isso; estavam apenas enganando a si mesmos pensando que poderiam crer na verdade, mas como não havia nada neles que lhes firmassem na Palavra de Deus, só o que lhes restaram foi continuar na mesma incredulidade em que eles sempre estiveram, mas que tentaram disfarçar, porém como eu já tenho dito algumas vezes, ninguém agüenta fingir a vida toda. Há um momento em que a sua verdadeira natureza tem que ser manifestada, porque ela não pode ser mudada. Se alguém nasceu para ser um renegado ou incrédulo ele será por toda a sua vida, tanto neste mundo como também no outro.

Nossa Vida Terrena Reflete o Que Já Somos em Outro Lugar

Nós tratamos ainda que superficialmente no estudo anterior sobre algo que o irmão Branham ensinava de que o mesmo espírito que temos hoje será exatamente o mesmo espírito que manifestaremos quando estivermos lá do outro lado da eternidade. Se alguém vive e anda aqui neste mundo como Cristo, ele continuará fazendo o mesmo depois que partir; por outro lado, se alguém viver sua vida como um apóstata aqui nessa dimensão, ele continuará fazendo isso em uma outra. Vejamos como o irmão Branham explicou isso.

Perguntas e Respostas N°. 1 (03/01/1954) § 78 – sem tradução
Como eu disse no início, o que você é em outro lugar é o que você reflete aqui. O que você é, seu corpo celestial ou terrestre é lá em cima; o que o seu corpo celestial for em outro lugar é o que você está refletindo de volta aqui. No reino espiritual, o que você é, é o que você é aqui. Se você ainda é de mentalidade vulgar e coisas tais no reino espiritual, você é de mente vulgar aqui. Se você ainda tem malícia, inveja, e sentimento faccioso, você está no reino espiritual com isso, isso reflete de volta para cá. Mas se todo o seu ser mais íntimo tornou-se limpo e purgado, isso mostra que você tem um corpo lá fora esperando, que foi limpo e purgado, e ele está reagindo de volta na carne. Você não vê? Veja, aí está. “Se este tabernáculo terrestre se desfizer, temos um já esperando”. Vê?

Então se nesta dimensão onde estamos agora alguém ainda atua como um renegado, é porque é assim que ele é no reino espiritual agora e depois; sua vida terrena está apenas reagindo segundo o seu corpo espiritual, pois de acordo com o irmão Branham, seu corpo está simplesmente ecoando ou refletindo aqui o que ele já é em outro lugar, e isso não mudará. A morte muda apenas a morada de um homem, mas não o que ele foi e sempre será.

Diga a Este Monte (15/12/1957) § 32 – sem tradução
Quando a feiticeira de Endor invocou o espírito de Samuel, ele ainda estava em seu manto de profeta, e ele ainda era um profeta. Ele disse a ela o que iria acontecer no dia seguinte. Certamente. A morte não muda um homem; ela apenas muda a sua morada. Se você é um pecador quando você morrer aqui, um incrédulo... Oh, você pode ser um membro leal de igreja. Mas se você morrer em sua incredulidade, não restará mais nada para você, exceto ser condenado. Se você morrer na fé, isso é o que te salva. Tua fé te salvou. Você tem que ir para a Vida Eterna, porque essa sua fé em Deus é a Vida Eterna, a mesma coisa.



Explicando a Cura e Jairo (16/02/1954) § 37 – sem tradução
O que você é aqui é um reflexo do que você é em algum outro lugar. “Aqueles que Ele chamou, Ele justifica” É isso correto? “Aqueles que Ele justificou, Ele glorificou”. Já na Presença do Pai, temos um corpo glorificado. Ah! Isso não foi profundo? Tudo bem. Nós descobriremos se está certo ou não. “Se este tabernáculo terreno se desfizer, temos um já esperando”. É isso correto? Isso mesmo. Então agora mesmo, e o que somos lá, é um reflexo. Aqui, o que somos aqui, é um reflexo do que somos em algum outro lugar. Então se suas ações são más, você sabe de onde isso vem. Você sabe onde seu outro corpo está aguardando.

A Noiva Jamais Muda, Assim Como a Palavra

Então aqueles que continuam guardando fielmente aquele mesmo fundamento apostólico, estarão refletindo aqui na terra a mesma Vida eterna que eles viverão quando Cristo voltar. Portanto a Noiva de Cristo deve ser nesta hora a mesma coisa que Deus manifestou em Seu Filho quando esteve aqui em carne. Seu testemunho não pode mudar, porque Ela recebeu a Palavra inadulterável de Deus que não muda, mas que permanece sempre a mesma. A Noiva não vencerá, porque Ela já venceu; Ela não estará assentada em lugares celestiais, porque Ela já está assentada.

A Semente Sinal do Tempo do Fim (19/03/1962) § 10
Então você diz: “Bem, Jesus curou o enfermo.” Ele é a Palavra. Ele é a Palavra. Quando você recebe a Palavra, você recebe Jesus, porque Ele é a Palavra. “A Palavra se fez carne e habitou entre nós.” Nós cremos nisto, não cremos? Em cada pedacinho. Nós cremos que Cristo é a Palavra de Deus manifestada; e nós cremos que a Sua Noiva deve ser a mesma coisa. (A Noiva deve ser hoje a Palavra de Deus encarnada e manifestada) Cremos que Ela deve crer em cada pedacinho da Palavra e ter essa Palavra em si, porque Ela é parte do Corpo. Ela é o Corpo onde Ele é a Cabeça. E quando Ele morreu, e ressuscitou dentre os mortos, e ressurreto, e assentado nas alturas pela majestade de Deus em Seu trono, à mão direita da Majestade, e nós somos Seus delegados. E reputamos a nós mesmos como mortos, e sepultados pelo batismo, ressuscitados com Ele, e agora assentados juntos com Ele em lugares celestiais em Cristo Jesus. Isso deveria fazer todos nós gritarmos, não é mesmo? Pense nisto. Nós estamos, não estaremos; nós estamos agora. Agora somos filhos de Deus; agora somos filhas de Deus. Não estaremos sentados; nós agora estamos sentados.

Então o que nós somos agora? O que já somos lá do outro lado. E se Cristo é a nossa Cabeça e nós somos o Seu Corpo, nós devemos ser agora o que o próprio Cristo é do outro lado. O que Ele é nós somos. Se agora Ele está assentado como Sacerdote, devemos ser sacerdotes aqui também, porque depois quando Ele reinar no Milênio, nós estaremos com Ele lá também reinando como reis. O que Cristo for nós seremos como Ele é. Que Deus nos ajude.





http://doutrinadamensagem.com/site/palestras-doutrinarias-por-diogenes-dornelles/


Nenhum comentário:

Postar um comentário